5 maneiras criativas para conseguir tempo para seus filhos.


  • Todo pai ou mãe, cedo ou tarde, virá a perceber que poderia ter passado mais tempo com seu filho. Seja pelas reações dele na adolescência, pelos problemas na escola, pelo sentimento de abandono ou depressão, além dos traumas causados na infância. O amor muitas vezes significa encontrar tempo para os mesmos.
    Como conseguir tempo, e que esse tempo seja de qualidade na dedicação às nossas crianças?
    1. Hora do banho
    Se a criança pequena estiver na banheira, faça um barquinho de papel e aproveite para contar uma história de aventura. Você pode ainda perguntá-la quantas bolinhas de gude precisa para afundar o barquinho, e ela pensará e responderá.

    2. Hora de dormir

    Leia histórias ao seu filho, pergunte a ele como ele acha que a história termina para construir criatividade e imaginação.

    3. No caminho à escola

    Cante músicas para incentivar a memória, faça jogos, recitem o alfabeto, digam nomes de animais com as letras do alfabeto, faça perguntas e elas responderão.

    4. Na hora do jantar

    Deixe seu filho lhe ajudar na preparação, arrumar a mesa, fazer a salada, lavar algumas louças. Peça a ele para bater os ovos, mexer o suco. Enquanto a família estiver aguardando o jantar, faça jogos de palavras, peçam para eles encontrarem objetos que comecem com a letra M, por exemplo. Contem histórias de família.

    5. Na hora de ir ao supermercado

    Peça ajuda à criança para encontrar os itens que precisa, comparar preços, quantidades. Além de despertar a consciência do valor, ela aprenderá a comprar de maneira inteligente.
    Isso tudo ajuda em muito a interação de qualidade com as crianças, mas não substituem o tempo exclusivo que ela merece. Algumas dicas para quando estiverem em casa:
    • Brinque com seu filho. Seja jogar juntos, ajudá-lo a montar e construir com peças montáveis, brincar de casinha, bonecas, mesmo somente indo passear no parque e sentar no banco da praça e conversar. Uma vez por semana ao menos por algumas horas trarão benefícios duradouros.
    • Ghost Writer. A ideia é criativa. Coloque bilhetes na lancheira da escola, embaixo do travesseiro, ao lado da cama quando acordam. Digam o quanto as amam. Conheci um pai que fazia isso vários dias da semana já que quando saía para o trabalho, sua filha ainda dormia. Ela guardava seus bilhetes como um tesouro.
    • Comunicação. Essa é a principal de todas. Ao chegar do trabalho, pare para ouvir e saber como foi o dia de seu filho. Faça disso uma tradição. Deixe-os contarem suas experiências.
    Passar tempo com os filhos nos dá oportunidades de ensinar através das horas informais e práticas da vida, e a eles para aprender e serem ouvidos. Mais que tudo, é um tempo onde vocês se conectam, e eles sentem-se amados.
    Um dia você poderá olhar para trás e ser grato por essas memórias. Os resultados se mostrarão na confidência dos filhos e em sua vida, que será o espelho necessário para medir suas ações como pais.

8º Arraiá Colégio Machado de Assis


Sexta- Feira comemoramos o 8º Arraiá do nosso querido Colégio Machado de Assis!!Foi tudo tão lindo!E nossos pequenos arrasaram!Eu e tia Jany ficamos muito felizes!!

As tias-Felizes!

Nossos pequenos felizes!





E nossa Festinha foi abrilhantada com a participação de minha família.
A todos que participaram dessa grandiosa festa:O nosso MUITO OBRIGADA!

Não envergonhe seus filhos. A menos que...

Os pais precisam ser sensíveis aos sentimentos dos seus filhos. Envergonhando-os da maneira errada pode ser prejudicial com consequências duradouras.
  • Primeiro vamos falar sobre o momento de não constranger seus filhos. Então em seguida a parte "a menos que". Nossos filhos precisam saber que são respeitados por nós e podem confiar em nossa palavra. Para ajudar a guiá-lo ao longo deste caminho, aqui estão algumas dicas sobre como e quando não constrangê-los.

    1. Nunca faça uma brincadeira sobre seus filhos a qualquer um

    Às vezes os pais pensam que algo é engraçado e vale uma boa risada, mas se é à custa do seu filho nunca vai valer a pena. Recentemente, vimos um exemplo disso, enquanto eu dirigia por um bairro residencial. Na esquina de um cruzamento movimentado, há um negócio com uma tenda onde os clientes podem enviar uma mensagem. Vimos parabéns para crianças, anúncios de novos bebê e avisos de formaturas postados lá e achei de muito bom gosto. No entanto, a mensagem que vi recentemente me fez sentir pena do rapaz que a recebeu. Ela dizia: "Escondam seus filhos, escondam seus carros, Chris agora tem 18 anos. Nós te amamos." (Nós mudamos o nome para proteger o rapaz.)
    O "nós te amamos" foi bom, mas o restante foi um insulto. Temos certeza de que os pais estavam apenas se divertindo um pouco com o fato de que seu filho já pode dirigir. Pense no que pode estar acontecendo na mente de seu filho. "Será que eles não confiam em mim com o carro?" ou "Com os meus amigos?", "O que meus amigos vão pensar quando lerem isso?”, "Me sinto envergonhado com isso". Talvez ele não esteja pensando qualquer uma dessas coisas, mas de qualquer forma ele sabe que seus pais não esperam o melhor comportamento dele. Não é uma boa mensagem para colocar na cabeça de um filho.

    2. Não os rotule

    Se seu filho está acima do peso nunca mencione esse fato dizendo algo como: "Ele é meu pequeno querubim rechonchudo. Não é uma gracinha?" Ele não irá se lembrar da palavra "gracinha", mas jamais se esquecerá do "rechonchudo". Assim, não importa o quanto você enfeite o rótulo, isso permanecerá na mente de uma criança e pode ter graves resultados no comportamento. Vimos isso acontecer quando um pai chamou a filha de 10 anos de idade por um nome similar. Ela disse que as palavras nunca saíram de sua mente e causou um transtorno alimentar grave devido ao desejo de ficar melhor para seu pai e outros. Chamar uma criança de "estúpida" também é extremamente humilhante e pode prejudicar a sua autoestima por muitos anos vindouros.

    3. Não faça uma cena em sua escola

    Um diretor contou-nos que certa vez, um pai veio até a escola quando seu filho estava sendo punido por mau comportamento. Em seu esforço para defender seu filho, que foi pego em flagrante, ele gritou com o diretor, usou de palavrões e insultos, tudo na presença do filho, professores e outros estudantes que estavam próximos. Isso não apenas fez o pai parecer um idiota, mas constrangeu a criança e todos os presentes. Tratar educadamente diretores e professores será muito mais eficaz e não envergonhará o seu filho ou você mesmo.

    Agora duas dicas de quando não tem problema o seu filho passar uma vergonha

    1. Elogie e gabe-se dele para os outros em sua presença, só não exagere

    Pode ser um pouco embaraçoso no momento, mas seu filho vai guardar isso como uma lembrança agradável do quão orgulhoso dele ou dela você está. Quando os outros o criticarem ou humilhá-lo, essas lembranças podem ajudar seu filho a atravessar momentos difíceis. Tenha em mente que o elogio mais eficaz é verdadeiro e bem merecido. Elogios falsos não funcionam.

    2. Vá buscá-los quando eles ficarem até tarde fora de casa

    Uma mãe solteira contou uma vez que seu filho estava chegando em casa tarde. Ela foi buscá-lo. Ele pareceu não entender a mensagem e se atrasou novamente, ignorando completamente a hora de recolher. A mãe teve outra ideia. Desta vez, sabendo que ele estava na casa de um amigo com um grupo assistindo a um filme, ela foi buscá-lo novamente; porém, desta vez ela foi procurá-lo "muito feia." Ela colocou rolos nos cabelos, tirou toda a sua maquiagem, vestiu um robe velho e pantufas de coelho. Ela entrou na sala onde os adolescentes estavam assistindo o filme, foi direto para o seu filho e disse calmamente: "Já passou da hora de ir para casa. Venha comigo agora. Ela contou que: "Ele deu um pulo e saiu o mais rápido que podia. E nunca mais se atrasou de novo." As crianças não gostam de ser envergonhadas. Ao usar esses métodos, seja respeitoso e carinhoso.
    Quando nossos filhos sabem que nós os respeitamos e amamos, eles têm uma chance muito maior de se tornarem adultos bem-sucedidos e felizes.

Festinha de Férias

Já estamos no finzinho do 1º semestre e já estamos com o gostinho de saudade...:'(
A turminha curtiu como pôde no dia de hoje!
Tivemos mais uma linda apresentação com o Infantil II, onde as " mocinhas" nos encantaram com ...EU SÓ QUERO UM XODÓ...
Finalizamos com uma divertida brincadeira com todas as turminhas do Infantil.
Fiquem aí com Nossos Melhores Momentos:












O poder do elogio e o incentivo

Recentemente, um grupo de crianças pequenas passou por um teste muito interessante. Psicólogos propuseram uma tarefa de média dificuldade, que elas executariam, contudo, sem grandes problemas. Todas conseguiram terminar a tarefa depois de certo tempo. Em seguida, foram divididas em dois grupos.
O grupo A foi elogiado quanto à inteligência: "Uau! Como você é inteligente!", "Como você é esperto!", "Que orgulho! Você é genial!"... E outros elogios relacionados à capacidade de cada criança.
O grupo B foi elogiado quanto ao esforço: "Parabéns! gostei de ver o quanto você se dedicou nesta tarefa!", "É muito bom ver o quanto você se esforçou!", "Como você é persistente! Tentou, tentou, até conseguir... Muito bem!" E outros elogios relacionados ao investimento realizado e não às capacidades percebidas na criança.
Depois dessa fase, uma nova tarefa de dificuldade equivalente à primeira foi proposta aos dois grupos de crianças. Aqui, elas podiam escolher se queriam ou não participar da mesma.
As respostas das crianças surpreenderam. A grande maioria das crianças do grupo A não participou.
Não quiseram nem tentar. Por outro lado, as crianças do grupo B aceitaram o desafio. Não recusaram a nova tarefa.
A explicação é simples e nos ajuda a compreender como elogiar nossos filhos e nossos alunos. O ser humano foge de experiências que possam ser desagradáveis. A maioria das crianças, elogiadas apenas pela sua inteligência e esperteza, não quiseram se arriscar a errar, pois o erro poderia modificar a imagem que os adultos tinham delas. Já as crianças elogiadas pelo seu esforço, dedicação à tarefa ou persistência, se dispuseram a tentar, porque independente do resultado da sua ação, a sua postura frente ao trabalho é que seria reconhecida.
Sabemos de "N" casos de jovens considerados muito inteligentes não passarem no vestibular, enquanto aqueles jovens "médios" conquistam essa vitória. Os "inteligentes", muitas vezes, confiam na sua capacidade e deixam de se preparar adequadamente. Os outros sabiam que se não estudassem muito não seriam aprovados e, justamente por isso, estudaram mais, resolveram mais exercícios, leram e se aprofundaram em cada uma das disciplinas.
No entanto, isso não é tudo. Além dos conteúdos escolares, nossos filhos precisam aprender valores, princípios e ética. Precisam respeitar as diferenças, lutar contra os preconceitos, adquirir hábitos saudáveis e construir amizades sólidas. Não se consegue nada disso por meio de elogios frágeis, com enfoque apenas no ego de cada um. É preciso que sejam incentivados constantemente a agir assim. Isso se faz com elogios, feedbacks, e incentivos ao comportamento esperado.
Nossos filhos precisam ouvir frases, como: "Que bom que você o ajudou, você tem um bom coração", "Parabéns, meu filho, por ter dito a verdade apesar de estar com medo... Você é ético", "Filha, fiquei orgulhoso de você ter dado atenção a sua colega novata ao invés de tê-la excluído, como algumas de suas colegas o fizeram... Você é solidária", "Isso mesmo, filho; deixar seu primo brincar com seu videogame foi muito legal, você é um bom amigo".
Elogios desse tipo estão fundamentados em ações reais e reforçam o comportamento da criança, que tenderá a repeti-los. Isso não é "tática" paterna, é incentivo real.
Por outro lado, elogiar superficialidades é uma tendência atual. "Que linda você é, amor!", "Acho você muito esperto, meu filho!", "Como você é charmoso!", "Que cabelo lindo!", "Seus olhos são tão bonitos!". Elogios como esses não estão baseados em fatos, nem em comportamentos. ou atitudes. São apenas impressões e interpretações dos adultos. Em breve, essas crianças estarão fazendo chantagens emocionais, birras, manhas e "charminhos". Quando adultos, não terão desenvolvido resistência à frustração e a fragilidade emocional estará presente.
Homens e mulheres de personalidade forte e saudável são como carvalhos que crescem nas encostas das montanhas. Os ventos não os derrubam, pois cresceram na presença deles. São frondosos, têm copas grandes e o verde de suas folhas mostra vigor, pois se alimentaram da terra fértil.



Projeto Meio Ambiente 2014(Ultima Parte)



Já encerramos a Semana do Meio Ambiente,mas não vamos esquecer de proteger "nosso Planetinha" todos os dias,pois a saúde dele depende cada um de nós.
Aí vão os melhores momentos:








Tia Suely dando um UP no rostinho da criançada.:)


Lembrancinhas de Garrafa Pet(Cofrinho)

Quero aqui,mais uma vez, agradecer a todos que contribuíram para que esse lindo Projeto acontecesse!
Beijos a todos nossos pequenos.









Semana do Meio Ambiente(Segunda Parte)

A questão ambiental está em alta por uma razão simples: necessidade de sobrevivência. Quanto mais cedo o tema for abordado com as crianças, maiores as chances de despertar a consciência pela preservação. Por isso, a educação para uma vida sustentável deve começar já na pré-escola. O objetivo é observar e explorar o meio ambiente com curiosidade, percebendo-se como ser integrante, dependente, transformador e, acima de tudo, que tem atitudes de conservação. 
*Apresentar a natureza com suas belezas, curiosidades e fragilidades. Mostrar lados negativos e positivos da ação do homem e valorizar a preservação 



Apresentação do temaO trabalho começou com uma roda de conversa. As professoras Suely e Jany levaram para a classe imagens que ilustram o assunto. Nesse momento já foi possível perceber que a atividade não se esgotaria ali. "Essa é uma questão que todo professor quer abordar, mas não sabe por onde começar"."Esse projeto prova que as crianças se interessam pela temática e chegam a formar suas próprias opiniões." 

A curiosidade das crianças incentivou a continuidade e Tia Suely e tia Jany prepararam uma aula-passeio na escola. O objetivo era observar a quantidade de lixo jogado no chão. Aqui fica registrado a importância dessa ação, pois em atividades desse tipo mostram o mundo real. "Elas poderiam ter feito essa apresentação usando livros e fotos, mas preferiram mostrar a realidade". Na volta, já em sala, a garotada registrou o que viu em desenhos e escritos. 

No dia seguinte, as professoras fizeram uma comparação entre a situação das ruas e a do pátio. Era comum a sujeira após o lanche. Saíram, então, pelos corredores limpos antes do recreio apenas para observar. Na hora do intervalo, todos lancharam e aí veio a segunda parte. As professoras pediram que eles notassem como o espaço tinha ficado sujo. 

Arte:
Recortes e Colagens,
Confecção de máscaras de animais,
Dobraduras de animais e plantas,
Arte com as mãos,
Desenho Livre,
Confecção de brinquedos com sucatas(reciclável)

Movimentos:
Sons dos animais,
Coreografia




O infantil II do Colégio Machado de Assis(Junco) vivenciou uma semana muito prazerosa e gratificante, pois puderam aprender brincando.Temos certeza absoluta que o Projeto pôde atingir todas as idades, inclusive nosso pequeninos.Reciclamos, fizemos artes, cantamos e dançamos.Esperamos que nossa proposta de aprendizagem possa chegar aos lares de nossos pequenos e também dentre a sociedade.













Continua...